Author Archives: rcr

reciclagem de cosméticos

Reciclagem de Cosméticos contribui para preservar os recursos naturais

A Reciclagem de cosméticos, quando possível, é uma alternativa para atender a demanda de produtos inservíveis, que se tornaram impossibilitados para comercialização regular; ou seja, em relação ao uso inicialmente projetado. Dessa forma, segregando e separando os componentes podemos minimizar as destinações com impacto ambiental positivo.

O procedimento também é conhecido como Reciclagem Química e abrange a segregação e descaracterização de embalagens de forma automatizada, sem nenhum tipo de contaminação.

Na etapa seguinte ocorre a descaracterização Organoléptica, que resulta em embalagem e produto completamente descaracterizados e preparados para outras etapas.

As etapas são realizadas com:

  • Análise prévia e criteriosa.
  • Adequado planejamento.

Tudo sempre previamente acordado com o cliente.

Hoje, vamos te ajudar a entender como é feito o passo a passo para reciclar os cosméticos.

Passo a passo da Reciclagem de Cosméticos

Quando sua empresa investe em reciclagem, a sua marca demonstra a preocupação que tem em preservar os recursos naturais e promover a conscientização coletiva.

Atualmente, a Logística Reversa contribui para melhorar a imagem das empresas diante de consumidores cada vez mais engajados em comprar de empresas sustentáveis e preocupadas com o meio ambiente.

Retirada dos produtos

O primeiro passo para a Reciclagem de Cosméticos acontece com a retirada dos produtos não comercializáveis. Esse procedimento é feito com total segurança para que seja possível proteger a marca.

Descaracterização

As embalagens são separadas, através de procedimento automatizado em equipamentos de última geração e, posteriormente, os processos químicos são realizados adequadamente em um ambiente seguro e livre de contaminações.

Os cosméticos recebem, então, a descaracterização organoléptica mais adequada, estabelecida por um profissional especialista.

Geração de novos produtos

O procedimento de Reciclagem Química possibilita, quando adequado, a utilização dos componentes que poderão ser aproveitados dentro de uma cadeia produtiva, bem como gerar economia de matérias-primas retiradas do meio ambiente.

Dados sobre o Setor de Cosméticos, Perfumes e Higiene Pessoal

A Associação Brasileira da Indústrias de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) divulga, anualmente, um panorama sobre a rentabilidade do setor.

Fizemos este comparativo dos últimos 10 anos para levar em consideração que o mercado brasileiro teve fortes crescimentos durante esse período, e que quem atua no setor consegue galgar resultados satisfatórios.

Essas informações permitem também que possamos compreender que esse grande volume de produção precisa de um planejamento eficiente de reciclagem.

gráfico sobre o panorama do setor de cosméticos

Número em bilhões de Reais

Alinhar crescimento da empresa com a responsabilidade socioambiental permite que haja um equilíbrio inteligente entre lucro e preservação do meio ambiente.

Leia também:

Reciclagem de Fraldas Descartáveis

Reciclagem de Fraldas Descartáveis: Uma solução eficiente de destinação final

Reciclagem de Fraldas Descartáveis pré-consumo é um procedimento ecologicamente correto em que as empresas ambientalmente responsáveis investem em uma destinação final sustentável.

Evolução do uso de fraldas

No século XIX, as fraldas de pano tomaram conta da rotina das pessoas e passaram a ser muito utilizadas até que empresas começassem a investir em tecnologia para produzir fraldas descartáveis somente década de 1940.

Por volta da década de 1980, as fraldas descartáveis passaram a ser mais acessíveis e a atingir um número maior de pessoas.

Essa mudança de hábitos, dar uma destinação adequada aos produtos inservíveis, pré-consumo, obsoletos e avariados tornou-se uma preocupação da indústria de fraldas.

Procedimento mais adequado para reciclagem de fraldas descartáveis

Reciclar um produto é uma medida que agrega valor à sua marca e promove a preservação ambiental de grande impacto positivo, considerando as dificuldades impostas nesse processo.

Especificamente a reciclagem de fraldas vem suprir um setor que tem dificuldades em encontrar uma empresa especializada neste tipo de procedimento.

Para reciclar fraldas há duas etapas:

  • Separação da polpa;
  • Separação das sobras (Scraps).

O primeiro passo é fazer a separação dos materiais, pois cada parte reciclável será enviada para um destino final diferente.

Essa separação acontece por meio de uma empresa especializada em reciclagem de fraldas, onde é possível efetuar a separação do produto em máquina específica e apropriada.

Separação da polpa

Após a separação da polpa, é realizada a reciclagem e envio para diversas empresas que utilizam esse material para fabricação de novos produtos, como a fabricação de tapetes higiênicos para linha “ pet ”, além de ser emitido laudo conclusivo, com detalhamento do processo.

Sobras

As sobras são encaminhadas diretamente para as empresas de reciclagem especializadas neste tipo de material.

Investir em reciclagem de fraldas é polpar o meio ambiente do contato prejudicial desse tipo de produto que pode levar mais de 500 anos para se decompor.

A RCRambiental é uma empresa pioneira no Brasil em oferecer soluções viáveis para produtos inservíveis e resíduos industriais.

Oferecemos o serviço de reciclagem de fraldas com todas as etapas feitas de acordo com o que determinam as normas e leis brasileiras. Para mais informações, entre em contato conosco.

Leia também: Gerenciamento de Resíduos Sólidos: Uma necessidade para o futuro do Planeta

Logística Reversa

Logística Reversa (Pós-Consumo) e o Gerenciamento de Resíduos Sólidos

A Logística Reversa é uma transformação no modo de pensar em como se lida com os produtos que saíram de uma fábrica/indústria.

Se antigamente o descarte em aterros sem nenhum planejamento era a saída mais usual, atualmente a responsabilidade socioambiental exige uma preocupação maior a dar uma destinação final mais adequada.

Para entender melhor essa história, nós vamos te explicar o conceito sobre esse tema e como ele é aplicado na prática.

A origem da Logística Reversa

A Logística Reversa, como a conhecemos atualmente, começou a ser desenhada por volta dos anos 1990, período pós-industrial em que se foi possível perceber que a industrialização trouxe um aumento do uso dos recursos naturais finitos e que era necessário pensar em medidas que fossem capazes de diminuir os impactos ambientais.

Alguns importantes nomes tiveram papel crucial em propagar o conceito de Logística Reversa, tais como James R. Stock, Craig R. Carter e Lisa M. Ellram.

Atualmente, estudiosos sobre o assunto definem que o ciclo produtivo exige um planejamento sobre o reaproveitamento de produtos e resíduos industriais, bem como a reciclagem dos materiais aptos aos procedimentos capazes de reintroduzi-los nos processos produtivos de uma empresa.

3 benefícios de se investir em Logística Reversa

O comportamento dos clientes de diferentes segmentos do mercado tem mudado gradativamente.

A preocupação com o meio ambiente, preservação dos recursos naturais e a busca por produtos fabricados por empresas responsáveis tem crescido em nosso país.

Com base nessas informações, as fábricas/indústrias têm ido em busca de melhorar seus processos e reduzir seus impactos na natureza.

1 – Um meio ambiente mais preservado

Todos os recursos naturais, sem exceção, são finitos. Isso significa que o uso desenfreado e sem nenhum tipo de planejamento e/ou compensação é proporcionar apenas malefícios à sua empresa, à natureza e à sociedade.

Ao criar políticas de gestão ambiental e implantá-las em sua empresa, você garante que haja um ciclo muito mais produtivo, com Valorização dos Resíduos e envio aos destinos finais mais apropriados.

2 – Dedução Fiscal

O governo brasileiro, por meio da Lei do Imposto de Renda RIR 99, artigo 291, permite a dedutibilidade de impostos sobre os custos dos produtos inservíveis (não comercializáveis).

Na prática, você pode encaminhar seus produtos obsoletos, com algum tipo de avaria, bem como matérias-primas e embalagens não comercializáveis para:

  • Receber a descaracterização (Proteção da sua Marca);
  • Tratamento mais adequado e envio para destinação final com menor impacto ambiental;
  • Obter o equivalente a 34% referente aos custos estimados para os produtos sem comercialização, informados em laudo conclusivo.

3 – Custos reduzidos

Algumas empresas resistem à Logística Reversa por imaginar que pode haver um aumento nos custos. No entanto, o que acontece é exatamente o contrário. Ao investir neste procedimento, há uma significativa redução.

Você pode realizar comparações para identificar que o investimento vale a pena.

Leia também: Gerenciamento de Resíduos Sólidos: Uma necessidade para o futuro do Planeta

gerenciamento de resíduos sólidos

Gerenciamento de Resíduos Sólidos: Uma necessidade para o futuro do planeta

O Gerenciamento de Resíduos Sólidos é uma exigência estabelecida pela Lei 12.305/10 – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

A Lei contribui para orientar sobre as medidas legais que as empresas devem tomar para investir em soluções viáveis em gerar hábitos saudáveis em seus ambientes corporativos.

Para compreender os principais métodos para gerenciar resíduos sólidos, você precisa saber o que os diferem dos rejeitos.

Entende-se por Resíduos Sólidos tudo que não é mais comercializado, mas possui valor econômico que permite a reciclagem ou seu reaproveitamento. Já os rejeitos não podem mais ser reaproveitados e nem reciclados.

Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos

Segundo a definição do Ministério do Meio Ambiente, a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos abrange a todas soluções que contribuem para minimizar os seus impactos ambientais, o que inclui os investimentos em Reduzi-los, Reutilizá-los e Reciclá-los (3R’s).

Ter um planejamento estratégico é o melhor caminho para gerir eficientemente os resíduos gerados por sua empresa, pois cada caso merece uma avaliação minuciosa de qual procedimento é o mais adequado.

Logística Reversa e o Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Falamos sobre a Logística Reversa em nosso artigo: Investir em Logística Reversa contribui com a economia e meio ambiente.

De forma resumida, trata-se de várias ações que têm como objetivo recolher os produtos e embalagens em suas fases de pós-consumo.

A lei determina que o recolhimento deva ser viabilizado pelo próprio fabricante e encaminhado para o seu próprio ciclo produtivo ou de outros.

O recolhimento é obrigatório para alguns setores, tais como:

  • Pilhas e baterias;
  • Pneus;
  • Lâmpadas fluorescentes, de vapor, sódio, mercúrio e luz mista.

Investimento em Gerenciamento Global de Resíduos

O ato de centralizar em uma mesma empresa toda a gestão dos resíduos sólidos é ter o comprometimento em lidar de forma mais assertiva não apenas com um dos processos, e sim com todas as etapas.

O Gerenciamento Global de Resíduos é responsável por:

  • Gerir a mão de obra qualificada;
  • Transporte dos resíduos sólidos;
  • Fornecimento de equipamentos apropriados;
  • Promover a valorização de resíduos recicláveis;
  • Ter controle operacional;
  • Emitir laudos técnicos etc.

O que parece ser complexo é facilitado por uma empresa especializada em gerir os diferentes tipos de resíduos sólidos. Com ela, torna-se possível cumprir o que se determinam as leis ambientais vigentes, bem como as diretrizes corporativas, além de enraizar uma cultura organizacional mais produtiva e o respeito aos recursos naturais.

Leia também: Logística Reversa (Pós-consumo) e o Gerenciamento de Resíduos Sólidos